Ele me ouviu

Fiz uma oração tão bonita, mas tão bonita que Deus parou o que estava fazendo, chamou uma nuvem para perto de seus pés e sentou sobre ela para me ouvir.

Sabe Deus, as coisas não andam fáceis por aqui, o senhor tem acompanhado, tem sentido tudo muito perto. Às vezes acho que nem preciso orar, porque tudo o senhor vê, tudo sabe, às vezes não digo nenhuma palavra, olho para o céu e isso basta, sei que tens todos os poderes do universo, ler o que esta escrito em um olhar deve ser o mais bobo deles.

Quando olho em oração para esse azul imenso, muitas vezes não são meus olhos, mas os olhos de uma mãe desesperada pela dor de um filho, noutras olhos famintos de alimento, de casa, de saúde, de amor, de justiça, o mundo esta vazio de compaixão e compreensão, o que transborda, bem, o senhor já sabe… Olhos que não são os meus, mas que clamam em minha face, só para ficar bem claro: nem sempre aquelas lágrimas são minhas, mas sei com total certeza que essa informação é velha, sei que sabes de todas as coisas.

Essa é mais uma de minhas orações para outra pessoa, alguém muito especial, que talvez não saiba o quanto lhe falo sobre ela, só o Senhor sabe.

Não deixe faltar abraço que extermine saudade, que cesse pranto, que faça parar de doer, que em cada abraço seja emanado um tanto de amor capaz de atingir com sua energia pessoas em um raio de mil quilômetros, quem sabe assim um dia o amor não contamina toda a terra.

Que os anjos voltem sempre, e soprem, e brinquem, protegendo, olhando, que eles estejam vivos entre nós.

Que os olhos brilhem tal qual o azul do céu em um dia de verão, e que as mãos dos que tem fé tenham a mesma força que o sol realiza ao nascer. Que o coração vibre e se encante, e pareça dançar dentro do peito, e que ainda assim cheio de emoção, seja leve como a brisa do mar que absorve todos os males.

Que ninguém viaje desta vida sem ver o mar, sei que em sua morada a natureza deve ser inimaginável, mas por aqui ainda não encontrei nada igual, o mar em uma fração de segundos nos trás paz, força e beleza, quando não o tenho diante de meus pés, fecho os olhos e lá esta, e por ser tão imenso jamais deixa a alma de quem por ele se encanta, o mar é o Senhor que jamais deixa a alma daqueles que tem fé.

Que a estrada seja bonita, tão linda que lhe faça esquecer o cansaço do caminhar, e ainda quando não houver caminho que um querubim perdido ajude a achar.

Amigos que completem a família. Livros que lhe embeleze as palavras, o falar, o pensar, ah! Uma vida cheia de poesia.

Que sua passagem por aqui seja uma historia que importe e que faça a diferença na vida daqueles que o rodeia.

Pouso, vôo e encanto, que quando for terminar em qualquer canto, seja tão leve tal qual o respirar de um passarinho.

Que a tua face seja a luz que norteie o coração ainda que falho, ainda que imperfeito, e ainda que sem direito eu te peça que não o machuque, não o empedre, ainda que sem direito te peça para que esteja sempre feliz, em paz com seus sonhos.

Ele silenciou e desenhou uma estrela cadente que cortou todo o sistema solar.

Ele me ouviu.

D.L.S

balsa

Arrumando os armários

Perigoso pular de para quedas, sofrível caminhar a beira de um precipício, sol de mais em horários indevidos pode maltratar a pele, não vá muito fundo no mar, ainda que você saiba nadar a correnteza pode virar a guarda a qualquer momento…

A vida vira a guarda a qualquer momento e ninguém esta imune a isso, ainda que o movimento instaure o caos, como dizem os matutos tão sábios: tudo o que acontece de ruim é para melhorar, bobo mesmo é que não acreditar nisso e se deixar enlouquecer sem o encanto do riso, da dança, da festa, da vida enfim.

Não tenho coragem para pular de para quedas, caminhar a beira de um precipício, sol de mais? Pode esquecer… Definitivamente não sei nadar! Não tenho força para nada disso, nem mesmo motivação, pois a minha grande aventura é viver. Pular de olhos fechados e corpo entregue em um abraço, sentimento, momento… PHD em vislumbrar acontecimentos do patamar mais alto, e ainda que essa visão geral me maltrate, não sei ser de outra forma, não sei sentir senão assim, ainda que manter os olhos abertos muitas vezes dilacere a alma…

A luz me cega e mesmo assim não deixo de caminhar em sua direção, seja guiada pelo sol, orientada pela lua, embriagada por estrelas, entontecida pelo vento, ainda que em meio a chuva, com frio, e açoitada pela força das águas que Deus derrama para lavar minha alma, em uma espécie de limpeza que breve machuca, mas que eternamente liberta. Não conheço o raso. A contemplação, a paz, a plenitude caminha junto ao profundo, a raiz de tudo, ao fundo, sou um relicário.

O perigo pode estar mais perto do que se imagina, e uma hora ou outra você terá que encarar, e ainda que tenha noção do quanto ira doer, dói bem mais, e por muito tempo… Hoje precisei arrumar velhos armários, e mexer no passado é mudar o presente nem que seja por um minuto, pois varias lembranças estão conosco todos os dias, mas não as acessamos por medo, por fuga, não as acesso por não poder sentir essa saudade que hoje é inevitável, insuportável e insana.

Hoje preciso esconder meus olhos do resto do mundo, não há luz que os decifre, não a palavras que os defina, hoje eles são somente um labirinto negro e cheio de brilho, inspirando saudade, chorando lembranças e procurando respostas de perguntas tão antigas, tão inadequadas, tão precisas e necessárias as quais não gritavam a tanto tempo.

Preciso esconder meus olhos do resto do mundo, pois eles estão reproduzindo as fotografias de outrora, foram novamente rabiscadas as palavras que permanecem escritas em papeis de anos atrás, sentimentos antigos que definitivamente não fazem parte do passado, sorrisos que hoje atravessam a rua ao me avistarem, sentimentos perdidos neste meu vasto mundo que ninguém habita, de uma vida que já não existe mais, ainda que não sejam apenas lembranças… Ainda que as guarde, ou que me livre delas, sempre estarão aqui: em meus olhos, em meus sonhos, afinal todas elas me traduzem no que sou agora: um redemoinho de saudade e amor.

D.S.L

O silencio

Relutei em escrever sobre o caos em que vivem e são recebidos os refugiados de todo mundo.

Não quis falar sobre política, governo, e toda essa situação de deboche que nos apresenta nossos governantes.

Não reagi em redes sociais sobre a catástrofe na cidade mineira de Mariana, não compartilhei fotografias do mar de lama que tomou conta do oceano, invadindo as águas do Espírito Santo.

Fiquei em silencio diante dos atentados a Paris.

Estou em silencio a muito tempo, pois todas essas situações não podem ser traduzidas, não há opinião a ser dada, não existe   outro sentimento diferente de tristeza.

Tristeza, com todas as letras, sons, significados e sentimento.

Destino, catástrofe, acidente, atentado, erro, não, é bem mais que isso, é o mal mostrando sua face carniceira e sarcástica, é o mal rindo de todos nos, gargalhando da miséria, do descaso, é como se uma mão visível, entrevada, seca e fria, estivesse aniquilando o mundo e transformando a terra em um lugar cada vez mais sombrio, com cenas de barbárie e desespero cada vez mais próximas.

Estamos todos sozinhos, abandonados a própria sorte, e o silencio me devassa, assim como um temporal, que ao invés de arruinar paredes e moveis, desconstrói  a alma.

Escrever o que caros senhores? Aonde mais podemos encontrar palavras de esperança, otimismo, como pensar na beleza da vida diante de tamanha desolação, como falar de beleza, de poesia, como ter graça? Eis minha inquietação, eis minha ruína, tudo que vejo esta cinza, tudo que sinto esta triste.

Nobres senhores o ser humano perdeu o sentido, e a vida o rumo, somos todos culpados. Vamos todos naufragar, todos nós: corruptos, infiéis, invejosos, desumanos, alienados, egoístas, vamos todos morrer diante dos incalculáveis questionamentos e opiniões fuleiras e sem sentido que enfeitam as redes sociais. Dispensamos as portas dos banheiros para que o mundo conheça nosso lixo de pensamento, nossa pobreza de alma, pois na verdade estamos todos preocupados apenas com o próprio umbigo, o lixo esta apodrecendo tão fetidamente que em breve ira nos tirar o ar, nos levando a insanidade.

Estou em silencio, acreditando como sempre no impossível, tentando emanar bons fluidos e sentimentos de luz diante do caos, através da oração, sim senhores, em silencio tenho orado não contra alguém, ou governo, ou estado mas sim a favor do bem e da transformação que depende de todos nos.

D.S.L

O convite esta aceito

Talvez eu esteja delirando tal qual Michelangelo após esculpir Moises, e encantar-se de tal maneira com a beleza de sua escultura a ponto de golpear a estatua com um martelo gritando: porque não falas?

À maioria basta o silencio de não se interrogar, afinal a paz pode morar no esquecimento, na displicência de não precisar saber, para que violar a calmaria procurando a direção do vento, içar as velas e navegar é tudo o que você tem, portanto retire a ancora e vá sem mais intuições, desapegue, finde em seu mundo oceânico onde ali sim tudo é possível, este é um convite para viver a sua loucura, apenas aceite.

O que podes fazer com tua existência tão transparente ao mundo? Tantas vezes invisível, e quando vista nua envergonhada, despreparada, não sabes ser, não é como os outros.

Junte-se aos demais, detendo-se apenas com o que é palpável, junte-se aos outros, navegue querendo chegar, para que se preocupar tanto com o caminho, com quem deixou de embarcar, desprenda-se, deixe de querer abraçar o mundo, carregá-lo, colocá-lo no colo para que se torne um menino mais bondoso, igual e sempre belo, deixe de se perguntar por que ele continua assim mesmo com tantas qualidades para ser melhor, preferindo estampar jornais cinza, com noticias cada vez mais sangrentas, desoladoras, inacreditáveis, o mal vem sendo a face que ele escolheu, faça como os outros aliene-se, não sofra, não pense.

Estes sonhos, esta angustia que tem flertado com o desespero ainda ira consumir-te, é de certo o que ira te matar.

A vida é o que é! Todos parecem viver em silencio, e em mim ecoam milhares de gritos, inúmeras palavras, então será que sou apenas isso: inúmeras palavras? Repetidas, inquietantes, aceleradas, rabiscadas, sempre inacabadas, são elas que se inquietam em busca do que jamais poderás decifrar: como pode um coração desejar o mal de maneira tão gratuita e natural? A psicopatia humana tem alcançado níveis altíssimos, caso Deus tenha pensado em acabar com tudo, creio que não terá muito trabalho, afinal escolhemos destruir, amontoando dinheiro, explorando o escárnio, cultuando uma beleza passageira e fétida, cada vez mais rasos, egocêntricos e distantes, olhando pacificamente a extinção da raça mais desumana que a historia já assistiu.

Em meio a tantas coisas boas e belas, escolhemos a lama, a desesperança, o sofrimento do outro, é preciso hastear a bandeira branca, mas a quem fora dado esse dever esta ocupado demais vivendo a vida em prol do próprio umbigo, repousando tranquilamente sobre suas convicções que só favorece a seus interesses, a paz jamais será possível enquanto for ofertada a poucos, estamos criando monstros, o mundo esta doente de alma, quem dera fosse essa uma realidade inventada, ou quem sabe um pesadelo do qual um dia todos nos iremos acordar.

O barco o qual navego suporta todas as tempestades, pois a fé e a esperança são a razão dos ventos de minha vida, findo em meu mundo oceânico: o convite esta aceito.

D.S.L

Todo dom assombra

Quem não conhece aquele tipo de pessoa que parece não temer nada, cabeça sempre erguida, o corpo ocupando o espaço perfeito por onde passa, sem tropeços, sem meios termos, a visão sempre além, olhando para o futuro, encarando o que esta por vir, não existe indecisão, nem motivos para lamentar-se, não se surpreendem, tão pouco se distraem com o que quer que seja, ansiedades tolas definitivamente não fazem parte de seu cotidiano, afinal não existe tempo para tolices, apenas para a realidade. Quem não conhece alguém assim? Pois bem, sou o oposto disso.

Vagueio entre a realidade e a ilusão, tenho medo, muitos e de vários tamanhos, penso a cada passo e temo por todos eles, sou um poço de perguntas sem respostas, muitas delas não me servem de nada e incrivelmente conseguem atravancar-me o coração que permanece feito ancora em alguma questão que me esmorece o sentido de tudo, chego ao cumulo de perguntar-me o porquê de tantas perguntas, é essa a grande questão de tantos pensamentos.

Acredito no impossível, e os que me acompanham sabem o quão essa crença pode ser perigosa. Levanto-me com ele, dormimos juntos, sorrimos, e as vezes a realidade o desfaz em questão de segundos, prometo não o querer mais, não flertar, mas quando retorno para casa ele esta a minha espera, sorrateiro e languido encostado na porta principal, não tenho como fugir, e então me deixo seduzir, fascinar, deixo-o entrar novamente em minha vida, permitindo a bagunça conhecida que faz morada em minha alma, tento aconselhá-lo para que tome mais cuidado ao se desfazer, mas ele é indomável chega como uma brisa e vai embora como um furacão, e quando menos espero lá esta: batendo em minha janela como alguém que foi convidado, não o abandono pois sei que por mais bagunça e indecisão que ele possa trazer, sua existência a mim é essencial e quando acontece faz um bem tão grande a alma quanto a vida.

O impossível é um pensamento forte que decidiu existir, é fé, é alma, é sonho e sonhar é a resposta do que somos, realizar sonhos é confirmar o que temos de melhor, de mais brilhante e sincero em nós.

Sigo amedrontada, roendo unhas, tropeçando, tentando me encaixar nos espaço onde a maioria se sente tão bem, e que a mim transborda facilmente, não pertenço a nenhum padrão, o que tenho é feito de coração e este segue apesar de tudo voltado para o bem. Não quero poder de mando, não quero matéria, tenho total desinteresse por tudo o que não é verdade, toca-me a fé, o encanto, minha busca é a conquista do que deslumbra os olhos, o reconhecimento do belo, do divino que a mim o qual estampo em brancas folhas que tantas vezes me causam paúra.

Será que todo dom assombra?

Seja como for estes fantasmas certamente serão dissipados pelos bons ventos que ainda hão de soprar e desta vez a melodia será regida pelo bater de asas dos pássaros que voam na chuva.

D.S.L

Que nos sobre fé

Será mesmo tudo novo de novo?

Evidentemente que não. Sejamos realistas, a magia do ano novo, dos acontecimentos futuros ao menos por aqui ainda não se fez presente.

Aonde esta todo aquele lance vem ser lindo, vai ser lindo, será um ano melhor?

Não sei, mas ainda não aconteceu.

Tudo bem, afinal ainda não passamos do carnaval, e a tradição por aqui pelas terras tupiniquins continua a mesma, o ano só começa verdadeiramente após a maior festa popular do mundo, e cá para nós somos realmente bons nisso, nesse quesito nem mesmo a Alemanha nos ganha.

O ano começou daquele jeito, ou melhor, nos assustando ainda mais, o Brasil vive uma crise hídrica, na verdade varias regiões do pais sempre sofreram com a seca, mas o alarde deve-se a região Sudeste, uma hora isso iria acontecer, pois não se consegui conscientizar a massa, e então dói no bolso. A conta de luz aumentou, a gasolina que nada tem a ver com tal crise também, dizem por ai que iremos passar por uma recessão, dizem por ai que a presidenta eleita em outubro sofrera impeachment, descobriram que a Petrobras foi assombrosamente roubada pelos nossos queridos governantes, como se todas essas coisas assim como a crise da água tivesse começado ontem.

Esta difícil tomar banho, acender a luz requer reflexão, colocar o carro na estrada ficou mais caro, engolir a corrupção esta insuportável, a violência gratuita das ruas continua nos assolando, o salário encurtando com a alta da inflação, a cerveja demora a gelar nesse calor imensurável, mais um ano somos obrigados aqui e ali a ler noticias do big brother, até tentamos desviar, mas sempre esta lá e é difícil saber que alguns de nos perdem tempo assistindo todo aquele lixo, mas sejamos democráticos quem não quiser assistir desligue a televisão, mude de canal, quer um bom conselho sobre isso: leia um livro.

Tudo parece muito difícil e cansativo, aonde afinal esta a poesia do ano novo de dois mil e quinze? Para onde foi toda a fantasia da noite de réveillon? O que de bom aconteceu a sua vida? O que vale lembrar?

Pois bem! Se a resposta for nada, antes de pensar como anda o Brasil, o mundo, e todas essas confusas crises políticas, naturais, governamentais, se a resposta for nada, se você não foi capaz de sentir um pouco de poesia, felicidade, e gratidão, corra e reavalie a sua vida, algo esta muito errado, seus olhos estão turvos, seu coração fechado e você vaga sem sentido, afinal o milagre permanece, e mesmo confessando que o ano começou insosso, o bem, os acontecimentos bons, os momentos realmente relevantes, as melhoras de vida, a poesia só acontecera aqueles que tem fé.

Tudo esta muito difícil, e se tornara ainda mais impossível em corações vazios de compreensão, paz e amor.

D.S.L

É o que dizem

Vá com calma!A vida é curta, é o que dizem.
Não se estresse na fila do supermercado, na fila do banco, no engarrafamento do transito, relaxe, respire fundo, coloque seus fones de ouvido e aproveite esse tempo apenas com seus pensamentos, racionalize: não podemos acelerar nada, tão pouco atrasar, vão lhe taxar de tolerante, paciente demais, muitas vezes poderão até lhe confundir com uma pessoa acomodada, mas você saberá maduramente que esta levando vantagem quando a cabeça parar de doer todos os dias, o coração bater menos acelerado, o sono chegar mais gostoso, e o sorriso, ah… Esse quando estamos em paz fica tão mais frouxo e verdadeiro.
Discuta política com os seus amigos, discorde, pondere, vale até parecer bravo, mas jamais termine uma amizade pura ou a deixe manchar por um assunto tão sujo.
Seja humano, atente para os olhos das pessoas.
Tenha gratidão, não custa nada é de uma beleza infinita.
Recompense um bom serviço prestado mesmo que seja com um elogio.
Não critique o sonho alheio, não rabisque o céu colorido de ninguém.
Afasta-se de sentimentos que possam ofender sua alma. Não tenha inveja: trabalhe. Não cobice: conquiste, acredite nesses ditos simplórios, pois eles são verdadeiros.
Reconheça sua pequenez, para de maltratar a natureza, ela é bem maior que você e caso resolva revidar pode te engolir num só ato.
Discuta Deus com quem não tem religião, ou duvida da sua existência. Persista, brigue por Ele se for necessário, para isso lembre-se das tantas brigas que Ele comprou por você. Esse direito de descrença não pode perdurar, salve seu amigo, todos nos que acreditamos temos provas concretas de que Ele existe, duvidas as vezes, perguntas sempre, mas que Ele existe, ah nós sabemos que sim, e mais que isso sentimos o seu abraço nos momentos em que o mundo nos vira as costas.
A vida é curta, é o que dizem, portanto se você esta reclamando da solteirice, ou até mesmo já passou desse estagio e decretou o encalhamento, prepare-se para o amor, sonhe com ele, e comece a amar a pessoa que vais encontrar, não espere ela chegar, sonhe agora, ainda solteiro, assim quando enfim o amor estiver no ar você estará pronto para não deixá-lo ir embora.
Tenha um animal de estimação, prove desse amor despretensioso e gratuito.
Escreva, toque um instrumento, cante mesmo que desafinado, pinte ainda que você não tenha noção do que fazer com uma tela em branco, dance sem se preocupar em ter ritmo, faça tricô, ponto de cruz, bordado. A vida é muito curta e muito dura é o que dizem, por isso vale a pena amolecê-la com a leveza de qualquer arte, sem pretensões, faça isso para você, por você, e agradeça sempre quando alguém gostar.
Desconheço formulas da felicidade, duvido de todas elas, mas reconheço que algumas coisas só fazem bem, ser do bem e desejar o bem é uma delas.
A vida é curta, é o que dizem, e eu lhes digo apenas o que sei dela: ela é tão bonita que dói.

 

D.S.L