O que você tem?

O que você tem? Quintas feiras iguais, probabilidades matemáticas, jornais empilhados que lhe dão noticias de um mundo que sempre vai mal, revistas que lhe dizem o que vestir, quanto pesar, o que comer… Beber não pode, fumar faz mal, na China estão vendendo ar… O que você tem? Confia em alguém?

Mude a rota caso palavras como descrença, tristeza e solidão, estiverem fazendo parte de seu continuo vocabulário. Sabe aquele velho papo de que a vida é curta, e de que a felicidade é possível, pois bem: é verdade!

Mude de emprego, de sotaque, de pais, até quando você não vai parar pra pensar em se fazer feliz? Chega dessa conversa de que não é tão fácil assim… Tome a vida nas mãos, rédeas curtas. Assuste todos os seus fantasmas, confie em Deus e reme, seja para norte ou para o sul, apenas reme com todas as suas forças e vá…

Palavras são palavras, e no que tange o campo da vida elas são fáceis, e muitas vezes opostas à realidade.

Em essência carrego o medo comum a todo ser vivente, mas em profundidade, quando sozinha, minha alma esbanja fé, ostenta beleza, e dança enlouquecida ao mínimo sinal de que tudo será possível.

Entregue-se a esse flerte com o abismo. O sonho é seu, mas a realidade também, portanto tens as duas partes universais para realizar.

Decreto: tens o direito de sonhar outra criatura, e sonhando aprenda a ser ela, de maneira auto didática porte-se como se estivesse plena, como se o dia esperado enfim fosse real, desse sonho carregue trejeitos, feitos, olhares, e uma coragem esculpida no rosto a qual realmente gostaria de ter, perceba: essa coragem já é sua, pois sonhando outra criatura o esforço continuo para içar ancora, tem afastado o que sufoca o peito e embaçado os olhos: eis que apresento um novo começo.

É tempo de mudar, e a direção não pode ser outra: mudar para melhor.

D.S.L

nascer

Imensos de vida

Vez ou outra alguém me pergunta por que gosto tanto de ler, confesso que cultura atualmente é visto como bem de consumo, mas a leitura por mais abandonada que pareça estar ainda faz muita gente enriquecer, lê-se como muita gente as editoras, o autor é um louco, desavisado, que tem como principal fomento ser lido, apenas isso, ele sabe que pode ganhar dinheiro com muitas outras coisas, mas o alimento real de sua alma ao se debruçar durante anos às vezes sobre folhas em branco é este: ser lido. Livros não são tão baratos é bem verdade, mas nada que um sebo ou uma feira literária com boas promoções não de jeito, fatalmente não a desculpa, só não lê quem não quer.

A leitura é vista como habito, gosto, estilo, quando você diz que gosta de ler, todos em volta o imaginam como intelectual de difícil acesso, mais inteligente do que os outros, tudo um engano, questão de vaidade, ninguém é melhor porque lê, mas quem lê com toda certeza é bem mais interessante.

Ler nos salva. Sou suspeita para falar de palavras, pois elas pertencem a mim uma beleza absoluta, silenciosa, encantadora. Perco-me por horas com um livro nas mãos, perco-me por anos como uma historia na cabeça.

Lendo já conheci a neve, já admirei o sol nascer em vários cantos do mundo, naveguei por oceanos desconhecidos, vive romances inacreditáveis, já fui capitã de grandes navios, fiz parte de uma tribo de índios, fui naufraga, tentei copiar o mesmo olhar de Capitu, encontrar um amigo tão fiel quanto Sancho Pança, ouvi o rouxinol enganando-me que era as cotovias no amanhecer em amor profundo como Romeu e Julieta, já fui tão amada quanto Euridice , estive na beira do rio Piedra e chorei, a culpa é das estrelas? Peregrinei o Caminho de Santiago de Compostela, caminhei cantarolando com Chicó e João Grilo pelo sertão brasileiro, vaguei em busca de respostas no campo de centeio, morei em Macondo… Foram muitos os pensamentos que já visitei, é injusto tentar listar todos aqui, mas em todas as historias estive, e tudo aconteceu de maneira tão grandiosa e mágica, deliciosamente vividas por mim que levo a vida de maneira tão simples, tão sem graças às vezes, tão linda sempre!

Ler é imaginar, e essa ilusão é um raio de luz na escuridão da esperança de todas as manhas.

Imaginar é tocar uma idéia, e se deixar ser tocado, ninguém é melhor por ler, mas ninguém permanece o mesmo ao se deleitar em um emaranhado de paginas, os personagens nos emprestam falas, jeitos, dores, alegrias, experiências, angustias, desesperanças e graças aos bons escritores que passaram por minha vida todos eles ao final de seus tesouros secretos compartilhados deixaram-me de alguma maneira repleta de esperança, de luz, de saudade, e um certo gostinho de que historias fantásticas podem acontecer também fora do campo das idéias, para isso basta emprestar um pouco da magia da arte a vida.

Gosto de ler porque livros trazem a vida em sua imensidão.

D.S.L