Enquanto…

Enquanto…

 

Enquanto te espero tanta coisa no mundo muda. Será que você abriu o jornal hoje? Teve um bom dia? Viajou nesse último feriado, ou aproveitou o frio dentro de um moletom com um livro fazendo companhia. 

A vida lá fora acelera, alguns dias são montanha russa, outros tarde em parque com direito a algodão doce, banco de praça, tempo que sobra, e que cobra mais vida enquanto disfarço; enquanto desacelero. 

Enquanto te espero ouço uma nova música, tento escrever mais a mão, com lápis, pincel, caneta, quero ter letra bonita para as futuras palavras que irão enfeitar as cartas que entregarei a você, não tem preocupação com resposta, já te esperei demais, bastara o silencio dos seus olhos mesclado ao encanto de teu sorriso como ponto final, será essa minha recompensa, meu fim, e começo de toda nova poesia ao sentir no teu abraço o quanto tens de cuidado, emoção e gratidão com essa nossa partilha a qual levou tanto tempo para acontecer. 

Enquanto te espero o mundo é turvo, cheio de muita notícia ruim e pouco abraço para se esconder, o caos é cada vez mais assombroso, o caos da gente, de dentro das pessoas, corações aflitos, muita ânsia por coisa nenhuma, ou pelo que não vale tanto; pouca coisa bonita para nos enfeitar o riso, muita lagrima, muito frio, sobra vaidade, transbordam egos, naufrágios diários dissimulam sentimentos, machucam, muita razão sem compreensão, tanta invenção e tão pouca cura, tanta foto muda, sozinha, sem história, café da manhã sem bom dia, noite de lua sem encanto, sem aconchego ou acalanto, sem nenhuma poesia, pois o medo tornou-se uma companhia mais agradável do que o risco, o mundo esse caos gigante, repleto de gente andante que ainda não encontrou o seu lugar. 

Enquanto te espero coleciono chaveiros, retardo o despertador em mais dez minutos, termino a leitura de mais um livro, passeio com o cachorro, almoço com um amigo, lembro que preciso marcar oftalmologista, termino o tratamento com o dentista, rabisco mais uma rolha de uma garrafa de vinho que ficou vazia enquanto te espero. 

Não me economizo, faço rimas, vou a Bahia, a serra, ao campo, tento juntar palavras para que tudo faça mais sentido, discuto política, abraço, choro no cinema, tento tocar violão, ensaio uma canção (ainda não consegui, falta-me tempo e ritmo).

Enquanto te espero acordo mais cedo, encaro a manha fria sem medo para assistir o nascer do sol: grande, imponente, luminoso, deslumbrante, anunciando mais um dia enquanto te espero. 

 

 D.S.L 

 

rolhas

 

 

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s