O guardião das sementes

Guardei durante muito tempo em uma caixinha azul sementes que esperavam ansiosas para serem germinadas, a cada ano elas pareciam cada vez mais fortes, o tempo as vezes pode ser cruel, mas no caso dessas sementes foi amigo conservando-as intactas, cada vez mais brilhantes, intensificando a esperança de que bons frutos seriam colhidos assim que elas encontrassem o único terreno a qual elas poderiam pertencer. A única instrução que me foi dada pelo tempo era exatamente essa: tais sementes só poderiam ser germinadas em um terreno distante, o qual somente a força do destino poderia fazer encontrar.

Percorri longos caminhos. Por muitas vezes questionei as regras impostas, tive medo de que sementes tão bonitas apodrecessem, ou que minhas mãos tão calejadas perdessem a força e a esperança de cultiva-las. Incontáveis foram os sonhos de um vasto jardim, elas floresciam em meus olhos, a força do meu querer era tão forte que por diversas vezes meu pensamento criou cheiro, cores, e vida aquelas sementes que permaneciam guardadas, eram elas meu maior segredo, o grande sonho, eram daquelas sementes a força de toda uma vida, a elas seria dado todo o esforço que fosse necessário para que pudessem germinar, trazendo beleza e encanto aos olhos dessa menina de coração sonhador.

Dinheiro, status, bens materiais, vaidades tão comuns a todo e qualquer ser humano, cada um que busque seu quinhão, a cada um cabe um mundo individual de felicidade, a mim aquelas sementes representavam toda a riqueza que um coração poderia ter, uma vez cultivadas seus frutos alimentariam de felicidade, paz, e fé o tempo que me resta de vida.

Meus olhos avistaram a terra tão esperada, ao longe sonhava com o que mal acreditava… Era um sonho, um grande sonho… Tudo o que poderia ser, nada mais me parecia impossível, enfim aquelas sementes encontrariam seu destino.

Quando meus pés finalmente tocaram a terra, a sequidão do tempo havia consumido a vida daquele chão, um deserto formado por mãos que surrupiaram a fertilidade necessária ao solo para cultivo, muitos eram os espinhos, ervas daninhas, mau trato da terra, mas aquela era a terra as quais as sementes pertenciam, a mim caberia paciência, dedicação, amor nas mãos que poderiam trazer vida aquela terra tão machucada.

Tentei vencer o emaranhado de espinhos, mas eles brotavam todas as vezes que a terra se mostrava pronta, esperei pacientemente a tempestade passar ainda que o medo sacudisse meu coração a cada raio que riscava os céus, alguns dias de sol me traziam esperança, mas então a ventania repentina ocultava a luz, tornando tudo cinza e triste. Tinha as mãos machucadas, o corpo cansado, os olhos embotados de terra, suor e dor. Incontáveis foram as vezes em que me ajoelhei sobre esse chão, em suplica aos céus para que um novo caminho surgisse salvando o solo de minhas sementes.

Em desespero tentei fazer de lágrimas e orações o adubo capaz de salvar aquela terra, em desespero velei aquele chão pela madrugada com a esperança de que o orvalho da noite junto a fé de um sonho transformasse aquela natureza; Em desespero finquei as sementes na terra, a força do amor poderia enraizar devagar feito um carinho inesperado, vencendo a aridez. Em desespero chorei agarrando a terra entre os dedos, suplicando em oração para que as sementes germinassem, mas de tão seca ela as expeliu uma a uma; em desespero as recolhi, pois a mim são preciosas, raras e imensuráveis.

As sementes estão seguras agora, as manterei longe da tempestade: em meu coração o qual torna-se guardião do que tenho de mais precioso, estarão comigo eternamente e num flerte com o impossível encontrarei a chave para o infinito, para o que não pode ser nessa vida, seja como for, as palavras serão os frutos possíveis, e ainda que solitárias elas carregarão a beleza das flores do jardim que sonhei para nós.

D.S.L

 

flor

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s