A fresta, o tempo e a visita

Deve existir uma espécie de fresta no tempo em que permaneça o que já se passou na razão de um segundo.

Contendo o segredo do mundo, e porque não dizer a aspiração da alma de querer voltar a um instante que aqui nesse tempo não existi mais.

Pode ser o vão que separa o céu e a terra, o lugar onde se guarda e que mais nada se espera, afinal, nessa fresta tudo é apenas passado.

Em que momento da sua vida você gostaria de retornar se fosse possível, se essa fresta estivesse aberta? Qual desejo refaria se o passado aparecesse como um poço mágico? Quantas moedas apostaria nos novos e sólidos sonhos não improvisados?

Sonhos certos como a fuga das folhas secas sobre seus pés, fazendo balé da natureza, valsando beleza e mediando a vida com o simples toque do vento.

Sabe-se no presente permanecer errando e querendo voltar atrás, portanto quais seriam os pecados não cometidos, e se não condenado o que você seria hoje, onde estaria?

Essa fresta se existe, talvez seja guardada por muitos anjos guerreiros, zelosos e fortes, os mesmos que limitam o céu e a terra, guerreando de posse de uma luz intensa contra quem por ventura se aproxime desse limite sem permissão, talvez sejam eles que separem o tempo do passado, restando a nos olhar com a mesma distancia a qual enxergamos o horizonte.

Não adianta negar: o passado interessa e muito, ele nos diz aonde chegamos, e amanha saberá aonde conseguimos chegar, não é obsoleto, tão pouco sem sentido, afinal poderá abrigar muitas coisas que já não fazem parte de nós: a inocência, a grandiosidade dos sonhos que nos faziam levitar e que com os anos diante de tantas passagens endurecemos os pés não sabendo mais como voar. O passado abriga abraços, vozes, olhares que atravessaram com a permissão dos anjos o limite entre a terra e o céu para os que acreditem que o azul não é morada apenas das nuvens.

Gostaria de conversar com a menina de oito anos, de olhos negros e fortes que desde muito cedo tentava entender aquilo que sentia, queria tocar suas pequenas mãos e beijar seu rosto, ouvir sua voz e sentir seu abraço, precisaria de poucos minutos para dizer-lhe: seja muito forte, cuide-se, tenha fé e não desista nunca, pois a esperança será o sentimento que lhe salvara nos piores momentos, fique com Deus menina e seja feliz.

Aproveitando a visita, através da fresta aberta iria presenteá-la com cadernos novos, cheios de folhas em branco para que ela escrevesse quem sabe uma nova historia.

D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Uma consideração sobre “A fresta, o tempo e a visita”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s