“We only said goodbye with words – Nós apenas dissemos adeus com palavras” *

Afinal de contas o que matou Amy Winehouse?

Temos uma resposta pronta: overdose!

Drogas, drogas e mais drogas.

Diante da resposta pronta que ocasionou sua morte, também nos perguntamos: por quê?

Afinal de contas à senhorita Amy Winehouse conquistou sucesso, fama, dinheiro e fãs mundo a fora.

Tudo o que ela conseguiu é o sonho de muita gente comum por ai, ou melhor, metade daquilo que ela conquistou satisfaria a muitos, mas não a Amy.

O que então faltava a Amy Winehouse?

Basta prestar atenção num de seus maiores hits mais famoso – Rehab -, na letra carregada de solidão ela responde que talvez só precisasse de um amigo, e que seu pai achava que ela estava bem, feliz; como o mesmo declarou após o acontecido, chegando a dizer que a filha não estaria mais fazendo uso de drogas. Ou ele era cego, ou se fazia de louco.

A verdade é que alguém deveria ter parado a Amy, ela própria deveria ter se dado um tempo, talvez na reabilitação, por que não? Mas ela disse no, no, no!

Desengonçada, louca, com cabelos desgrenhados ela continuou fazendo suas dancinhas desgovernadas no palco, empenhando um copo com álcool, arriscando-se na linha tênue que separa a vida da morte, no caso de Amy, essa linha a qualquer momento poderia ser cortada por um copo, um cachimbo, um cigarro, uma picada.

Em uma de suas entrevista disse que sentia insegura quanto a sua aparência, talvez Amy precisasse de alguém que lhe dissesse o quanto ela era linda.

Amy Winehouse precisa ser gostada por ser apenas a Amy, mas não foi isso que deram a ela, se tornou uma grande cantora, dona de uma singularidade inacreditável, era daquelas pessoas que parecem nos desvendar com os olhos trazendo neles uma vida inteira de mistérios e labirintos, sua voz era tão bonita e intensa que nem parecia sair de um corpo tão frágil. Amy era “amada” por milhões de pessoas, ou melhor, fãs, mas acredito que na maioria das noites ela terminava sozinha em sua cama, e nesse instante em nada lhe valia a fama, o dinheiro, o sucesso, os milhões de fãs, restava apenas Amy a garota insegura que se achava feia, carente do abraço de um amigo que lhe fosse verdadeiro, restava-lhe suas lagrimas secas, talvez as intitulou dessa maneira por chorar por dentro toda vez que lhe doía à alma, por não haver lagrima que ao percorrer seu rosto magro lhe aliviasse sua falta de paz.

“Volta para o luto”, ou melhor, “Back to Black”. Amy vestiu sua alma de preto nos últimos instantes de sua vida, talvez estivesse em sua pior fase, naquela em que não se enxerga a luz, não porque ela não exista, mas porque já não se tem vontade, esperança, ela sabia que tudo uma hora iria acabar, que nada ficaria, por mais que ela tentasse seu caminho de tão sinuoso já não tinha volta, tudo acabaria, inclusive ela.

Não acredito que sua doença era dependência de drogas, sua maior dependência era de vida, ou melhor, da falta de uma realidade mais honesta, simples e por que não dizer verdadeira, com pessoas verdadeiras, livres de todo o glamour que a própria Amy passou a cuspir, a não mais desejar, restando-lhe assim o refugio alucinógeno para conviver com a falta daquilo que a vida nos nega.

D.S.L

* trecho da musica Back to black de Amy Winehouse/ Mark Ronson

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

2 comentários em ““We only said goodbye with words – Nós apenas dissemos adeus com palavras” *”

  1. Que bom que tem alguém que tb enxerga além de um copo de bebida ou um cachimbo…essa é a verdadeira essência de ser humano, saber ver a alma!!!mas infelizmente ainda somos poucas minha cara amiga… parabéns sempre por suas palavras

    Curtir

  2. Nossa me emocionei mias uma vez lendo suas tão lindas palavras.. como seria bom se todos aprendessem aolhar o que temos por dentro primeiro pra depois julgar o exterior.. Deus tem essa capacidade única .. o olhar diz tudo .. o carater diz algo a mais .. mas a solidão e a fragilidade atenuam qualquer fraqueza que o ser Humano pode ter ou adquirir .. Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei !Será que é tão dificil?? .. Descanse em paz Amada Amy !!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s