Lê-se: “…”

Malditos sejam todos os discursos e falsas esperanças que nós sem exceção, penduramos no pescoço assim como placas de transito que indicam a direção da onde queremos ir, ou levar alguém.

São as típicas frases de efeito de todos os começos: “estou em busca de alguém especial”, “quero ter alguém com quem compartilhar a vida”, “amar e ser amado”, “viver um grande amor”, e por ai vai.

Todo relacionamento começa assim, mesmo que a intenção seja tão somente uma noite e nada mais, é como se as pessoas tivessem se acostumado a dizer isso a qualquer um.

E ao contrario do que acontece na maioria das vezes, estes mesmos relacionamentos deveriam terminar ou não terminar, com o mesmo empenho e louvor o qual essas frases foram implantadas.

Por que não dizer a verdade? No estilo: “sou sincero”, deixando as coisas bem claras desde o inicio: “olha não estou a fim de nada, te achei legal, você é bacaninha, cheira bem, trabalha, é decidida, determinada e talvez me ajude a encontrar um sentido pra minha confusão, por que até agora acho que vim ao mundo a passeio”, ou então: “você beija bem, tem um bom papo, tem como a gente ir pra cama de vez em quando sem nenhum compromisso?”, mais ainda: “sou cínico, dissimulado, não acredito de fato em sentimentos, não vou ficar com você pra sempre, nem te levar pra jantar, nem viajar com você no dia dos namorados, não vou ser nada daquilo que você espera, quer ficar comigo?”.

Seria tão mais fácil, verdadeiro, humano até, todo mundo tem o direito de não acreditar no amor, de não querer compartilhar nada na vida com ninguém, tem-se o direito de querer se satisfazer indo pra cama com todo mundo deixando de lado esse “negocio” de fidelidade, respeito, companheirismo, fazendo da própria vida uma só confusão, sem mentiras, sem rodeios, ou machucando quem não merece, quem ao contrario ainda acredita em tudo isso.

Não é fácil cumprir promessas, não é moleza encarar um relacionamento a dois, e se não se estiver disposto a ceder, a pedir desculpas, a sonhar, e principalmente a medir conseqüências dos próprios atos para não machucar o outro, é preferível que não se de o primeiro passo, é preferível não ligar no dia seguinte, não fingir, não prometer.

Criou-se essa falsa cultura de que é preciso ter alguém a “tira colo” custe o que custar, sendo que nem todo mundo quer de fato ter alguém, o amor não é pra todos, nem para poucos que aparentemente parece merecê-lo, o amor é pra quem de fato quer amar, é idolatra deste prazer bobo de fazer o outro feliz, o amor é muitas vezes uma negação da própria existência, não podendo nunca ser confundido com banais futilidades egoístas, o amor não nasce para ser feito de bobo, e amaldiçoados serão todos os que um dia tomaram um coração com essa triste finalidade.

Deve-se tentar, deve-se tentar e tentar, e amar, e pelejar, e sofrer, e sentir, e desgastar-se quantas vezes forem necessárias, pois vale a pena se de fato o coração estiver embriagado de uma doce vontade de amar, de se ter um chamego, um carinho na alma que se deseja pra sempre, o que não vale é dissimular, colocando placas no pescoço com direções que não levam aqueles que as lêem a lugar algum, ao contrario fazem com que os caminhos se percam, tirando de passos sinceros até mesmo a vontade de caminhar.

Não carrego placas com falsas promessas, alguns me lêem e se confundem por si só, não indico direções, nem caminhos, lê-se em mim a seguinte frase: “caminha comigo, juntos decidimos aonde podemos chegar”.

D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Uma consideração sobre “Lê-se: “…””

  1. Como sempre vc consegue com suas palavras dizer pelo menos pra mim q eu gostaria de dizer a algumas pessoas de vez em qdo, gostaria até mais de q essas pudessem ler o q vc escreveu nesse texto pra talvez um dia entender algumas coisas da vida. Acho q vc entrou na minha vida por algum motivo, ainda ñ o descobri. Mas me ajuda pelo menos a pensar um tanto sobre algumas coisas q achei q só eu pensava… obrigada mais uma vez anjo bjs ma

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s