Que nome ela tem?

Você já encontrou a alegria na vida?
Respondi que sim, e creio que a maioria das pessoas responderia positivamente. Foram tantas as alegrias que já passaram por minha vida, afinal de contas todos os dias somos cercados por elas, grandes ou pequenas, o fato é que estão sempre aqui, no cotidiano nosso de cada dia.
Mas a pergunta não era bem essa, não com a intensidade de como foi perguntada.
Você já encontrou a alegria na vida?
Também não se trata de alguém chamado alegria, nem tão pouco um ser tipo duende ou fada que a traz, trata-se de uma alegria que se espera conquistar antes de partir, para só então quando os olhos cerrarem-se eternamente e o coração se abrir pra sempre, ela more dentro de você.
É uma alegria que dá sentido a toda sua vida, a qual dinheiro não compra, o tempo não apaga, algo que pode estar perdido em sua historia por falta de um pedido de perdão, ou quem sabe um sonho deixado pra trás, uma chance desperdiçada, um amor que calado diante de um sentimento tímido deixou de ter razão, um orgulho bobo que lhe afastou de alguém muito amado.
Você já encontrou a alegria na vida?
É o mesmo que perguntar em qual sonho você deixou de acreditar.
Sufocou a vontade de ser mãe, negligenciou-se como pai, errou com um amigo, não deu o primeiro passo por medo de se achar diante de um precipício, não teve coragem de se mostrar por não sentir-se capaz, deixou que a pessoa mais importante de sua vida fosse embora, sem ao menos lutar por ela.
Deixar a vida passar e as coisas acontecerem, esperando que algo “caia” do céu e lhe traga de mãos beijadas seu sonho realizado, é bem mais fácil do que sacrificar-se em busca dessa tal alegria, e então não sendo encontrada a maneira mais cômoda de não se sentir frustrado é acreditar que “não era pra ser”.
Não era pra ser, não é o mesmo que dizer: eu tentei até não poder mais, nem o mesmo que: eu acreditei com todas as forças, tão pouco: eu fiz de tudo. Não era pra ser é fracassar duplamente, é assinar um atestado que engloba falta de fé, força e coragem. “Não era pra ser” não pode vencer algo chamado determinação, nem ser capaz de lhe negar a oportunidade de satisfazer-se com a vida.
São muitas as alegrias que nos podem acontecer, e são muitas as imposições que criamos para que elas não existam: se eu mudar de emprego, seria uma alegria, se eu viajasse para aquela cidade, se me curasse dessa doença, se meus filhos gostassem de estudar, se eu ganhasse muito dinheiro, se eu fosse mais bonita, mais popular, mais amada, se meu ex voltasse pra mim, minha família me aceitasse, se o mundo me reconhecesse, se… Mas o “se” que falta a tudo isso é o: “se eu acreditasse em mim”, e mudasse tudo o que é empecilho para encontrar a alegria na vida, certamente ela estaria mais próxima de minha estrada.
Sempre faltara algo, pois essa é a única forma que a própria vida encontrou para que desejássemos permanecer vivos em busca desse algo, sabia ela nos concede tempo de perceber o que precisamos conquistar para só então conhecer o nome que se da a essa alegria.
Não permita que o tempo lhe de um susto e que de repente você se encontre perto de partir sem a ter encontrado, ou pior ainda chegue à conclusão de que ela se foi por você ter lhe dito adeus.
Você já encontrou a alegria na vida?
D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s