Mais nada

Não existe verdade sobre o que sou. Mas isso nem importa, afinal de contas quem é que sabe se enxergar a ponto de tocar a própria alma sem sentir vontade de chorar, sabe quando você se olha no espelho e parece se perceber tanto que pelos olhos tem a impressão de poder entrar em um lugar desconhecido que não se tinha idéia da existência?
Dá medo se encarar assim, e dá medo às vezes encarar tudo mais em volta, a vida em si dá medo. E muitas vezes esse medo da vontade de chorar, e de ficar na cama, por ser ali o único lugar seguro para pensar em tudo o que se quer e o que não se sabe. E pensar em tudo isso trás uma sensação de enlouquecimento, e enlouquecer não é bom, pois se pode perder tudo, em meio a esse vento forte que da no pensamento vez ou outra.
Eu penso que posso encarar tudo, ou seja, viver tudo, e sentir todas as coisas, mas a verdade é que muitas vezes eu fico tão assustada, e com tanto rubor diante do que pode acontecer que me vem uma paralisia, e então eu não quero sentir mais nada, mas tudo o que eu vejo me transporta a viver mais alem, e de uma maneira mais intensa que o resto do mundo.
Experimentar a tudo, aprender a cada oportunidade, revelar-se mesmo que isso permita que todos enxerguem seus defeitos, critiquem seus pecados, e rotulem sua historia como se pudessem lhe transformar em objeto qualquer assim como eles, tudo isso sempre me foi impressionante e valido, mas ultimamente tem me assustado, pois alguns rótulos ao carimbarem a pele machucam a alma.
Às vezes escondo-me para não machucar, sufoco-me para não explodir, mas sempre me deixo guiar pelos gritos do coração, pelos ventos da liberdade, pela esperança de uma boa surpresa, pois a vida revela-se pra mim com um rotulo de letras enormes que dizem: seja feliz sem medo!
Assim, sem mais eu volto ao espelho, e então a vontade de chorar passa, dando lugar a um riso involuntário onde percebo que tudo mais o que se tem a fazer é viver e mais nada.
D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s