Onde não haja portas

Aonde eu posso te encontrar?
Ouço gritos, é sua voz a me chamar, mas eu não sei aonde você esta.
Eu te procuro pela internet, pelo telefone, vejo seu caminhar nas ruas, mas não é você logo que se viram pra mim, não é seu rosto.
Você grita cada vez mais forte, e eu fico como louca te procurando, sem ao menos ter noção da onde vem o som da sua voz.
Nas ruas persigo teu cheiro e nos caminhos por onde andamos o teu rastro, mas eu não te acho, e então eu me pergunto se eu te perdi.
E você continua a gritar, me chamando.
Dentro de mim essa confusa solidão, que nada quer alem de encontrar teus braços e adormecer no colo, como nas noites onde as festas acabavam pelo amanhecer com o teu sorriso dormindo no meu.
Era pra você ficar, e tentar ser forte, e acreditar como eu que a gente vence a vida quando luta com mais força que ela e berra mais alto do que o medo que vai vencer, mas você não suportou ficar.
Sinto tanto a sua falta, quero tanto te ver, e você continua gritando, quase me ensurdece.
Sonho com você, ora acordada ora dormindo, sonhando tudo é tão mágico, tudo é tão lindo.
Tenho rabiscado e nem ao menos esse labirinto de palavras tem me ajudado a te encontrar, então eu resolvi pintar, mas o sorriso no quadro ficou triste, e quando decidi cantar a voz confundiu-se ao pranto, nada mais restou, só o choro te pedindo pra voltar.
Pra voltar sem nunca ter que dizer adeus, sem mais lacunas de tempo, sem mais horas confusas, sem mais dias sem te ver, pra voltar pra sempre, sem mais amor tendo que transbordar por falta de coração que o caiba.
Voltar trancando todas as outras portas, jogando as chaves fora, para só então encontrar um outro caminho, aonde não haja portas e obstáculos a serem passados, onde não haja mais nada que não seja eu e você.
Eu ouço seus gritos, eles vêem de dentro de mim, é o meu coração que te carrega seguro em algum lugar que o fim esqueceu de visitar!
D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s