Eu tenho medo!

Para muitos admitir ter medo é sinônimo de fraqueza, mas cheguei a conclusão de que o medo muitas vezes nos serve como base para não perdemos algo ainda maior que a coragem.
Para tudo na vida é preciso cautela, para ter cautela é preciso paciência, para conquistar paciência é preciso paz, e todas essas conquistas podem ser atropeladas pela ansiedade, ela caminha junto a falta de medo, pois quando corremos não temos medo de tropeçar e cair, e com pressa fazemos tudo de qualquer jeito, sendo o resultado muitas vezes distante da onde pretendíamos chegar.
Com medo nos é seguro parar um pouco pra pensar, analisar melhor o que si a de fazer, refletir tentando encontrar a melhor resposta, o melhor caminho, a atitude mais sensata, e a ansiedade nos tira tudo isso, pois quando ansiosos queremos chegar depressa, pouco enxergando o caminho que percorremos. Sendo o caminho essencial para o aprendizado, primordial para chegar ao topo, sendo a subida dolorosa, cansativa, ofegante.
É por medo de perder as pessoas que nos dedicamos a elas, é por medo de não ter com o que sobreviver que muitos de nós se submetem a empregos que pouco nos satisfaz, é por medo de magoar que não saímos atirando por ai aos quatro ventos verdades que temos atravessadas na garganta sobre aqueles que nos rodeiam.
Portanto acredito que ter medo nada tem a ver com falta de coragem.
Ser corajoso é fazer o que é necessário, agir com razão ou emoção em um momento onde muitos recuam, ter coragem é o mesmo que dar o primeiro passo, ou o mesmo passo que nos cansa todos os dias, e isso independe do medo, afinal quantas vezes mesmo com medo nos decidimos por arriscar, tentar, e nos erguer em meio a cinzas. Isso é ter coragem, ter medo é uma proteção, como animais que somos nos serve de defesa, afinal se não tivéssemos medo, tentaríamos voar sem asas ou aparatos que nos sustentem no ar, ou então deixaríamos a tudo, ganhando o mundo, vivendo para nos mesmos, pela falta de medo de não precisar de ninguém alem de nós.
O medo é parte do que somos, aprendi a ter medo de quem não tem medo, pois esse que bate no peito gritando ao mundo que a tudo enfrenta e suporta, pode ser perigoso a si mesmo, e em proporção ainda maior aqueles a quem rodeia.
Penso no medo que a tantas pessoas causam pavor, trancando-as em casa prisioneiras de si mesmos, penso no medo dos que não mais arriscam o passo seguinte, medo de sorrir, medo de ser feliz, de ter alegria por medo que ela passe, medo de amar, medo de não ser capaz de ter medo, medo de um amanha, que para mim é tão distante quanto o minuto seguinte, e que para todos é tão incerto, mesmo quando ilusoriamente pensamos ter certeza de algo.
A verdade é que não sabemos de nada ao certo e talvez seja essa a grande aposta que fazemos com a vida todos os dias, pois não sabemos o que a vida fará de nos, e quando nos damos conta não sabemos o que fazer da vida, e quando não sabemos o que fazer nos é quase imposta a condição de fazer alguma coisa, e mesmo com medo partimos com coragem para o passo seguinte, mais uma vez sem saber aonde essa estrada nos levara, tendo como guia raios de sol que hora nos cega e ilumina, como repouso o orvalho da noite que ao escurecer o céu nos aponta que é hora de adormecer em sonhos, como aliada do medo a esperança, pois esta sim nos da a condição de a tudo suportar, a tudo vencer sabendo que ao vencer sempre perderemos algo.
D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s