O grito das palavras que não são ditas

De tudo sempre sobram palavras a serem ditas, na maioria das vezes silenciadas por falta de tempo, coragem ou por um medo qualquer.

Palavras que nos rodeiam dia sim, dia não, em qualquer lugar, a qualquer hora, e quase nos sufocam.

Só de pensar nelas sentimos aquele “tranco na garganta”, e os olhos molhados, o coração aflito, denuncia que algo não vai bem, pulsando de forma como se quisesse nos aconselhar a fazer alguma; como se dissesse: “olha desse jeito eu não vou suportar muito tempo, tome uma atitude”.

E as palavras vão acumulando, como se tivessem mãos a apertar o pescoço, podendo ser de qualquer natureza: um “cala a boca” para aquele chato que por não ter o que dizer fala qualquer besteira, um “vai cuidar da sua vida” para aquela amiga fútil e vazia que se alimenta de historias alheias, um “não se dê tanta importância” pra quem só olha pro próprio umbigo. Pode ser aquele pedido de socorro em uma relação onde com o passar do tempo os valores vão sendo esquecidos, um pedido de perdão, uma conversa franca após anos de distancia. Seja lá como for elas sempre estão ali.

As palavras que acumulamos nos machucam, acho que foi por isso que comecei a a escrever, desse modo encontrei uma forma de curar um pouco as dores, expressando muitas vezes aquilo que não existe palavra pra definir, dando a mim uma verdade que tento esconder, escrever me torna leal aos meus sentimentos.

Sobraram palavras, das quais não foram ditas por uma arrogância que todo ser humano tem em não querer se sentir por baixo, sobram palavras que fazem ainda mais sentindo agora que não tenho você para reparti-las.

Eu não te contei que todas as vezes que te vi ir embora, eu chorava, nunca na sua frente pra não parecer ainda mais boba e que a minha vontade era te pedir pra ficar, mesmo sabendo que não era possível; E que quando adormecíamos eu ficava acordada te olhando, e que nas manhas depois de nos falarmos eu olhava pro sol e ele parecia tão mais bonito a ponto de me fazer cerrar os olhos e agradecer a Deus por ter me trazido você. Eu amanhecia cantando. Nunca te disse o quanto você é inteligente, e o quanto a sua gargalhada é gostosa de se ouvir; o tamanho da verdade dos seus olhos poderiam me embriagar pelo resto da vida. Eu queria te dizer que muitas vezes em diferentes dias conversar com você era a melhor coisa que me acontecia, queria te falar que eu procurava aprender sempre mais, só pra saber coisas novas e ter assim assuntos novos pra você não enjoar da mesma pessoa, queria te dizer que eu quis ficar mais bonita só pra você gostar mais de mim, queria te dizer que você tem um cheiro de sabonete como se sempre estivesse acabado de sair do banho, eu quero que você saiba que os teus abraços me deixavam tonta, e que quando eu te pegava me observando eu ficava tímida, eu quero que você saiba que eu olho pra minhas mãos e vejo as tuas mãos entrelaçadas brincando com meus dedos e que isso eu não permiti ser feito a quase ninguém, quero te dizer que quis ser melhor por você, e que você me enlouquecia quando se mostrava encantada por mim.Que você saiba que eu tinha muito, mas muito de te amar, e ainda pavor em te perder, eu quero que você saiba que tudo anda meio perdido, sem sentido e que eu ando sem graça, dormindo e acordando por força do habito, sem vontade pra muita coisa, sem paciência pra muita gente por que eu sei que ninguém vai me dizer como você esta, e que mesmo aqueles que me amam só irão falar frases prontas. Quero que você saiba que de certa forma eu fui egoísta por não querer mais aceitar viver horas, e dias sem ter você, eu acho que eu te perdi para a vida, que não nos ajudou a viver tudo o que sonhamos assim como essas palavras que ainda não haviam sido ditas.

Eu quero que você saiba que eu não tenho amanhecido cantando.

D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Uma consideração sobre “O grito das palavras que não são ditas”

  1. Oi estranha?!
    Quais as palavras guardadas para a minha pessoa?
    Espero que amanhã você amanheça cantando, sabe porque?!
    “Porque às vezes eu quero chorar mais o dia nasce e eu me esqueço…”
    Então eu canto, mesmo que o mundo às vezes me silencie eu continuando cantando, cante!!!Siga sua música porque o tempo esse não para!Bjokas…saudade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s