Eu vou dar um “pedala” no sujeito

Preciso encurtar as coisas! Parágrafos principalmente (risos)!
Usar e abusar de pontos de interrogação, exclamação, reticências; Não é preciso explicar tudo, mas com tanta gente acometida de analfabetismo funcional e “emocional”, tenho medo de que não me entendam.
Preciso deixar de aprofundar demais a vida. Ficar mais rasa, a beira do rio, ao invés de sempre mergulhar sem medo!
Deixar de me espalhar e oferecer-me a qualquer um, ando muito “facinha”, qualquer um chega, toca, leva, alegra, qualquer um machuca! Poucos amam!
Tenho que aprender que sorrisos são valiosos, que abraços são especiais, conselhos ou consolos são essenciais na vida, quando quem aconselha ou consola pretende somar, construir, amar.
Aprender que são poucas as pessoas dispostas a ouvirem a verdade (tem gente que pede por isso e se ofende quando encara os fatos), mesmo que a verdade as liberte, tem “nego” que esta acostumado a viver aprisionado, que não consegue sair da jaula.
A verdade mesmo transitória em algum momento existe. Difícil saber a verdade de todos os momentos, encara-la, é melhor camuflar, florear, poetizar!Definitivamente eu preciso parar com isso!
Quero ser mais direta, chega de “passar a mão na cabeça”, de tudo relevar, facilitar… De agora em diante eu vou complicar, brigar, e ao invés de “passar a mão na cabeça” eu vou dar um “pedala” no sujeito.
Preciso entender mais de mim, porque dar amor não pode ser pra qualquer um, na minha lei tem que ser pra todos (risos)!
D.S.L

“Do Vietnã nos aplaudem, viva, viva os loucos que inventaram o amor” (Astor Piazzolla/ Horácio Ferres)

E.T – Para alguem especial que anda me ajudando muito com suas observações!Obrigado minha amiga! Da sua escriba!

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

2 comentários em “Eu vou dar um “pedala” no sujeito”

  1. Que ficar mais rasa?!Que nada, você precisa mesmo é de um escafandro para descer cada vez mais em busca de coisas mais belas, do que as que já escreve e para os que não entendem, delhes tempo!!!Às vezes um pouco de tempo pode fazer um total “stranger”, torna-se fruto de inspiração!!!Bjos,princesa das terras distantes!!!

    Curtir

  2. “Deixar de me espalhar…”
    “… anlfabetismo funcional e emocional.”
    “…porque dar amor não pode ser pra qualquer um, na minha lei tem que ser pra todos.”
    Arrasou escriba!!!
    Beijões!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s