A melodia das aguas ao encontro das pedras

"_ Eu sei… Pensei que tinha acontecido alguma coisa, assim acaba me assustando! Só você mesmo… Não se cansa de me pregar peças? Pare de ser tão moleca! Onde já se viu marcar um encontro para dizer que…
_ Você é mesmo um tonto!
_ Por que? – perguntou surpreso.
Luiza colocou uma das mãos sobre o lado esquerdo do peito de Renato e com a outra acarinhou-lhe os cabelos, os olhos da menina admiravam o rosto de seu Querubim como se estivesse vendo-o pela primeira vez, nada mais foi dito, todas as perguntas calaram, todas as duvidas e “por quês” deixaram de existir, pode-se ouvir naquele instante a melodia das águas ao encontro das pedras, eis que enfim os olhos se fecharam, cúmplices dos lábios que estavam por se encontrar; todo aquele amor pareceu se concentrar naquele beijo, os braços se encaixaram ao corpo um do outro num laço de amor e esperança.
Após o beijo Renato não fez outra coisa senão sorrir, olhar para sua Luiza, sorrir novamente, e beija-la sem nada dizer para ter a certeza de que não estava a sonhar.
_ Por que não me disse nada?
_ Tive medo.
_ Medo? Ora Querubim! Eu poderia ter demorado ainda mais para descobrir e assim poderíamos ter se perdido um do outro.
_ Não vamos mais falar disso! Já não importa! Estamos aqui, não nos perdemos e antes que eu te beije novamente para ter certeza de que não estou sonhando, quero te dizer com todas as letras, com todos os sons que… Eu amo você. Desde do primeiro momento que olhei nos teus olhos meu coração te encontrou!
_ Querubim!
_ Sou sim, só teu!
_ Amo você também, quando me disse que iria embora descobri o quanto, fiquei desesperada. Você sofreu…
_ Não importa! – respondeu o rapaz sorrindo à deslizar a mão pela face de Luiza – Você é tão bonita, minha fada, princesa, rainha, todos estes nomes são para ti, minha “Helena”, dou-te todo este mar como prova do meu amor e não há ninguém no mundo que possa reclamar a esta propriedade, invalidando assim a prova de meu amor.
Luiza não agüentou a doçura daquelas palavras e permitiu que o brilho dos seus olhos se derramasse, nosso cavalheiro secou-lhe as lágrimas com beijos. Permaneceram no píer a conversar e sorrir até que a lua se espalhasse completamente pelo céu, dando ainda mais brilho àqueles olhares apaixonados… "

D.S.L

Trecho de um de meus livros!

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s