Rita deixa eu te levar pra casa?

Sabe Rita… Queria te levar pra casa, não sei, mas toda vez que te vejo pelas ruas o temor de algo lhe acontecer abala meus sentidos. Vem comigo Rita, vamos pra casa, deixemos as convenções: ainda que os laços de sangue não nos una, os laços de nossos abraços e olhares nos movimenta, nos preenche nesse enlace que nasceu assim, ao acaso, se é que ele existe.

Posso sentar aqui do seu lado Rita? Deixa saber o que aconteceu com você: desistiu ou se libertou? Quem te causou mal? O que você vê e sabe da vida é muito mais, é alem da compreensão de qualquer físico quântico fodastico e chato. Mesmo sem saber muito sobre você peço a Deus para te cuidar, em oração quando te penso nunca vejo trevas, mas luz, uma luz tão doce e bonita. É isso Rita, você veio nos ensinar alguma coisa, mas olha o preço que você paga por isso… Não Rita, não pode ser ensinamento de nada, não quero aprender nada dessa forma.

Lembro dos seus olhos assustados e carentes me pedindo um abraço, fui tão privilegiada por ter sido escolhida em meio a tantas pessoas para te abraçar. Você é tão melhor do que tanta gente que passeia de terno e gravata, tão mais humana, tão mais limpa do que quem toma banho todos os dias, você é digna Rita, outro dia passou por mim toda orgulhosa levando um balde cheio de macarrão instantâneo que alguém cozinhou pra você, era sua janta, e você me chamou pra jantar, você sabe dividir Rita!

Ah como eu queria te levar pra casa, te dar o que vestir, tirar de você esse anestésico que sempre lhe mantém fora da realidade, o que houve com a sua realidade pra você escolher fugir dela quase todo o tempo Rita? Conta! Quem sabe tem jeito, quem sabe você não muda de vida, queria te dar uma casa, um sofá e uma varanda com rede, queria te dar mais que um abraço, ou roupas, ou algum trocado, ou comida, queria que todo mundo te olhasse sem nojo, sem te achar uma indigna, uma mendiga qualquer, você não é qualquer uma, você é a Rita.

Tem musica com seu nome sabia? E musica das boas… Acho que tem poema também, mas se não tiver não tem problema faço um pra você, sou uma pobre pecadora, cheia de defeitos e contradições demais Rita, mas Deus sabe o quanto queria te levar pra casa.

É Natal Rita, você não quer brincar de família comigo? Talvez você nem ligue para essas coisas, mas não quero acreditar que você desistiu, que não quer ter uma cama limpa e cheirosa, não quero acreditar nisso, porque você é muito gente  para ser o tipo de pessoa que desisti, que perde a luta e entrega os pontos.

Que Deus te de sonhos Rita, pois só Ele pode te levantar, ainda que você não queira, só Ele tem essa força motriz que nos impulsiona a viver mais um dia, sem arregar para a realidade que é sempre tão difícil, hostil, cruel. É a Esse mesmo Deus que peço para proteger a você e seus cachorros, a Esse mesmo Deus suplico condições de te ajudar sempre, ainda que você só queira de mim um abraço.

D.S.L

A Cruz de Cristo não é cenário!

Quem esta na Cruz do calvário?

Quem pode ser crucificado, ou melhor, quem agüentaria ser crucificado, xingado, cuspido, flagelado, julgado, rejeitado pelos que estavam a seu lado, quem pode ser culpado por disseminar a paz, o perdão, a cura, e um amor imensurável que nenhum ser humano é verdadeiramente capaz de sentir.

Ser crucificado foi o destino que impusemos a Jesus, o salvador, o messias, o filho de Deus, Ele também não conseguiu fugir ao livre arbítrio e ao julgamento da humanidade, acredito que Deus o fez homem vivente para além de salvar a todos nos dar exemplo de resignação e amor, pois seja lá como for tudo debaixo do sol é vaidade, e essa vaidade nos dias atuais é o calvário do mundo.

As paradas gays mundo afora sempre tiveram minha simpatia, sou a favor de estar na rua dizendo: olha nos estamos aqui, nos existimos, e queremos tão somente direto a vida, a felicidade, ao amor, veja como somos alegres, leves, somos normais, mais normais do que muita gente imagina, é bacana e legitimo lutar por direitos ainda tão abalados por quem também deveria se ocupar em disseminar bons sentimentos.

No Brasil até mesmo um comercial festivo torna-se palco de uma discussão boba, infantil, uma marca de perfumes foi apedrejada por mostrar em um abraço o afeto homo afetivo.

O fato é que ninguém deve ocupar, ou sentir-se no direito de ocupar a mesma cruz que pertenceu a Cristo, ninguém tem esse direito, seja cantor, jogador de futebol, ator, papa, seja quem for, ninguém pode ocupar esse lugar, a causa de Cristo vai muito alem de todas as nossas vaidades e banalizar isso em um show, em uma capa de revista, em uma parada gay é sim muito triste.

É legitimo que muitos homossexuais, trans, travestis, são hostilizados, mortos, assassinados com requintes de crueldade, os esforços contra a homofobia são ainda muito brandos, quase nulos, poucos se importam verdadeiramente, mas colocar alguém em uma cruz no contexto de uma festa mundana para protestar não foi legal, não pegou bem, é desnecessário, provocativo demais, ainda mais por vir dessa comunidade que se mostra tão especial, que luta por um Brasil laico, que não concorda em misturar política e religião.

Todos nos simbolicamente carregamos uma cruz, cada um sabe o peso da sua, mas nenhuma delas foi tão pesada quanto a de Cristo.

Não estou interessada em julgamentos, longe disso, não acho que ninguém deva apontar o certo ou o errado, a consciência de cada um deve ser medida individualmente, não devemos julgar, mas não foi simpático, não foi legal, somente desnecessário, pois a cruz não pode ser objeto de protesto, não a Cruz de Cristo, temos outras armas contra a homofobia esse tipo de laço entre religião e política é que o verdadeiramente tem aprisionado gays, mulheres, crianças, negros, e todas as ditas minorias a violência e ao desrespeito.

D.S.L