Incidental.

Meus olhos medrosos se policiam para não te contarem o que o peito abriga em respeito. Eles te buscam a todo o momento, mesmo quando fechados, em sono, perdidos em silencio te vêem, te querem e inevitavelmente se encantam por você.

As mãos perdidas entre as tuas, desejam tocar-te bem mais do que me é permitido, o abraço com medo de sentir, o coração pulsando tímido em busca do teu, o cheiro dos teus cabelos em meu colo, o cotidiano cru que tanto me apavora e tanto me faz bem, tua admiração, teu bem querer, teu olhar que quase me engana e me embriaga quando emite uma paixão que não sei distinguir se é sonho meu ou realidade tua.

Pergunto-me: será que tu sabes o que abriga no peito, na pele, na vida, quando pensas em mim, será que assim como eu tens medo de sonhar com algo desconhecido?

Você!

Tão diferente de tudo o que já conheci. Tão distante do possível.

Guardo tuas lagrimas por esses amores que não enxergaram o quanto brilhante é tua vida, o quão lindo e verdadeiro são teus sentimentos, resta-me calar esse grito diante dos teus sofrimentos, esse berro em mim que teima em querer dizer: eu posso te fazer muito feliz.

Trago as mãos rentes ao peito, bem próximas ao coração todas as vezes que oro por ti, pedindo aos anjos, a Deus, que se de vontade Deles te tragam pra mim, mas caso ate nos céus não me seja permitido escrever essa historia com um fim feliz, que te chegue um conto de fadas, alguém que mereça ter-te nos braços, que retenha o coração puro, e os olhos voltados pra ti, que não se canse jamais de te amar, que tenha assim na vida a esperança de viver unicamente seguro de um amor, que reconheça como eu que tu és uma linda pessoa, volto a dizer: diferente de tudo o que já conheci na vida.

Como fim de mais essa historia, fica em mim a intenção calada de querer te amar, desejando a ti que simplesmente seja feliz o teu caminho!

Incidental: Quantas vezes coração bobo? Chamar-te a atenção pra que? Se de fato nunca me ouviu, porque permites? Sabes não poder, sabes não alcançar? E agora coração o que vais fazer, o que acontecera a mim? Penalizada mais uma vez pelas tuas escolhas tortas, afinal de contas que atração é essa pelos caminhos mais difíceis, pelos labirintos mais espinhosos. Agora coração já que é tua a culpa: se vira!

D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

2 comentários em “Incidental.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s