“Retrato em preto e branco”

   Eu quero dormir embalada por Nara Leão à cantar “Retrato em preto e Branco”
   E ver calmamente o passar do dia no aguardo da chegada do por do sol, lendo poetas. Ser aconselhada por Drummond com seus “Conselhos de um velho apaixonado”, e ouvir de Tom Jobim que “Chega de saudades”, assim de repente, não mais que de repente, inaugurar a chegada da noite com Cazuza a deleitar-se gritando “Vida louca”
   Sair de casa e apostar na lua todas as fixas dessa vida de um só caminho: aquele que me faz feliz! Que a noite tenha um só tom, o tom do abraço de meus amigos, das gargalhadas dos bêbados a porta dos banheiros, da tontura do álcool sorvendo a ingenuidade da minha timidez de menina, e do flerte com você que passa e nem nota que eu rôo as unhas por causa da sua chegada, leva contigo sem ao menos saber, que meu sorriso se embaraça nos teus passos que não me descobrem
   Na madrugada descobrir-me “Atrás da porta” junto a Elis Regina.
   No amanhecer preencher o vazio do céu de um novo dia com cores de Frida Kallo.
   Quando sentir fome, alimentarei meu ser primitivo com as palavras sabias e imortais do poema mais bonito de todo o tempo, de todo o mundo, escritas a muito séculos antes, as palavras de Coríntios 13, e assim sentindo-me mais perto do céu ajoelhar-me e clamar que o amor não se demore a retornar, a voltar ao meu viver. Amar sempre, mais e mais, até entorpecer-me e cair novamente. Amar sempre, diferente, junto, contente, a cantar e poetizar, e dedicar-me novamente a apenas amar.
   Para trabalhar eu vou encher-me de coragem e reconhecer na rua dos grandes comércios a “Construção” do Buarque. E ganhar dinheiro com um único intuito: o de gastá-lo, pois eu não vou viver a economizar pedaços de papel com desenhos coloridos. Não vou aprisionar-me, gastar hoje, pois é hoje que quero ser feliz; Amanha ganha-se mais e gasta-se novamente.
   Eu vou decorar meu quarto enchendo as paredes de furos e pregos, quero rede, quero quadros, quero fotos, quero espelhos, e muitos penduricalhos, todos suspensos como nuvens ao vento. E um sonsinho mínimo no canto da parede pra que eu possa novamente adormecer embalada ao som de Nara Leão, e sonhar, sonhar e sonhar, pra acordar e não parar de sonhar!
D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s