Vestirei asas

O tempo e tudo mais andou seco, perdendo a vida, o tom, uma luz fosca pairou no céu esbranquiçado pela poeira, o dia já não tinha cheiro, as tardes perderam a cor encantadora do por do sol; era possível ouvir de longe os clamores para que uma providencia claro que divina fosse tomada, olhava-se para o céu como se com a força do olhar fosse possível se fazer entender, se fazer um milagre, ou simplesmente o derramar de lagrimas deste olhar cedento por misericórdia fosse capaz de fazer também o céu lacrimejar apenas .
Naquela tarde, caminhando, senti o mundo parar e silenciar por inteiro, talvez fosse apenas meu interior, por alguns poucos segundos, ou melhor, milésimos deles, pude ouvir o som de meus passos, que pareceram me perguntar, como se fossem obedecer uma ordem, aonde meu coração queria chegar.
O som de meus passos silenciaram-se com o pulsar acelerado de meu coração tão cansado, senti medo de chorar e não conseguir parar até chegar na manha a qual espero não acordar sozinha seja enxergada por mim com os olhos abertos.
São muitos os sorrisos a brincarem comigo, são muitas as palavras que minha voz ressecada pelo tempo ainda querem gritar, tenho medo de não saber o que falar, tenho medo de não encontrar mais espaços para escrever, tempo para pensar, vida para realizar-te em mim, sendo tudo inefável em nós; calo-me por me perceber só, sendo desnecessário explicar que não se deve viver sonhos, apenas em um sono que se desfaz no travesseiro.
Loucos pensamentos que em mim perderam o medo de não fazerem sentido.
Loucos passos.
Temidos os sons sejam do caminho ou do coração, na verdade não sei mais em qual dos dois acreditar, se em meus pés que tocam o chão, se em meu coração que não se cansa de bater, mesmo que em vão, por um sorriso distante, por um abraço que nunca chega, por alguém que ainda não se sabe, por um olhar que brilha tímido, e que sem perceber me procura.
Vi a chuva cair sobre teus olhos, o tempo seco se afastar, para então molhar a terra seca e cansada de meu coração, e novamente fazer brotar rosas que adornaram nosso jardim.
Inquieta-me o espírito, o choro por tudo, o qual faz em mim gritos por um nome que a primavera escrevera no céu com o cheiro das flores breves que irão brotar em terra por mim desconhecida; não sei em qual rua irei te achar.
Sei apenas que te busco.
Tão simples como o surgimento de uma estrela no céu, é o encontro de duas pessoas aqui na terra, não no nosso caso, não podia ser fácil, não pode ser ao leu, sem porque, sem fazer sentido, precisa ser forte, pois será pra sempre, precisa ser difícil, pois desde o começo precisaremos saber lutar, para então saber também repousar sobre o colo transbordante de afeto que se fará em nós.
Quando minha cabeça esvaziar-se de pensamentos numa entrega pura diante da ciência do teu amor; precisa ser mágico, pois só este sentimento nos arrancara da alma todos os pesares passados, todos os outros pecados cometidos antes por uma fé que cansada de esperar quase abriu mão de crer.
O novo, o puro, o verdadeiro, trará ao sorriso amarelado nas fotografias do passado, envelhecidas pelo tempo, um novo jeito de sorrir, antes nunca visto em mim, devendo o teu sorriso nesta nova fotografia ser a partitura de todo esse caminho que nossos passos juntos irão sonorizar.
O tempo neste momento parece atropelar o presente para que o futuro não se demore mais, até mesmo o tempo já compreendeu que precisa se apressar para calar de uma vez por todas esse pranto chorado tantas vezes dentro de mim; por ainda não ter a ti.
Vestirei asas para alçar vôo e enfim encontrar você, com a força do vento, com a fé nas palavras proferidas a lua, vestirei asas para abraçar-te, alcançar o céu e voar a teu lado sobre todo o universo, para toda eternidade. Infinitamente.
Vestirei asas.
D.S.L

Anúncios

Autor: ela...

Elaine. Ela. Helena. 17. Setembro. Há alguns anos atrás. Ascendente em peixes. Brasil. Santista de nascimento. Baiana de descendência. Mineira de coração e endereço. Muitas e de muitos tamanhos. Letras, palavras, frases. Nossa Senhora Aparecida. Família. Música. Sol. Brisa. Luar. Prefiro mar. Branco. Tenho uma irmã mais nova. Minha maior paixão tem mais de 100 anos. Abraço. Meu pensamento é hiperativo. Tenho os melhores amigos. Cometo ao menos um erro todos os dias. Converso com Deus. Já mudei de emprego três vezes, já mudei de vida outras varias. Por do sol. Não faço nada sem dois ingredientes: paixão e entusiasmo. Primavera. Beijo. Horizonte. Esperança. Cinema, quadros, composições. Já machuquei quem não merecia. Olhar. Exagerada e sensível. Carente. Bagunceira. Transparente. Meu primeiro livro publicado e grande orgulho: Quando Florescem as Orquídeas. Tenho um blog e uma coluna semanal em um jornal do interior. No mais sou abençoada. Sei dizer apenas que tudo passa!E que eu sou bem feliz! D.S.L

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s