Dois

   São seis e vinte e cinco da manha de uma sexta feira gélida, o sol já começa a preencher o céu com uma cor meio que alaranjada, a lua ainda esta lá, como se dissesse ao sol: espera ai,que meu brilho ainda não foi embora.
   Eu não consigo parar de tremer a perna, quase derrubo o teclado neste momento, abri sua foto aqui no computador e fique olhando como seu sorriso é bonito, e como seus olhos são profundos, e lembrei de como gosto de fungar no seu cabelo, e de como seu abraço me faz bem.
   Eu queria ter filmado a minha cara na hora que você me pegou desprevenida na porta do banco, eu não sei o que você quer de mim, mas já descobri o que quero de você!
   Parece loucura, mas já sinto como se a vida ficasse melhor quando você esta perto, tudo fica mais feliz com a sua gargalhada, jogando a cabeça pra trás como se sacudisse o cérebro pra acreditar em tudo que te digo.
   Eu não entendi porque você não me beijou ontem, eu sei que eu estava num momento difícil, mas seu beijo seria tão bom naquele momento.
   Achei uma graça você me ligar, depois de poucos segundos que a gente tinha acabado de se falar, só porque estava preocupado comigo, mais bonitinho ainda foi você ter desmarcado aquele encontro, com sua amiga que você esta morrendo de saudade, só pra estar do meu lado nesse meu momento.
   Eu não sei o que você quer comigo, mas eu quero te convidar, pra cada vez mais fazer da minha vida, e fazer parte de mim, e viver feliz do meu lado, se é que eu saberei como te fazer feliz, e viver esse grande amor que eu espero viver. Mas é você que tem medo! E eu não vou te propor isso, não agora, pois você ainda precisa decidir, se prefere ter medo, ou se prefere a mim. Eu sei, um convite como este não é feito todo dia, mas o que eu faço agora, se desde a primeira vez que eu te vi eu te quis, e cada vez que te vejo mais, te quero mais, tenho medo de te querer tanto e daí não poder mais te ver, ao menos enquanto dure esse seu medo, eu sei, um convite destes assusta mais do que se eu te convidasse pra fazer sexo a três em publico.
   Eu sei de tudo o que eu não deveria fazer, mas quando vejo, é mais forte do que eu, o que estou sentindo é mais forte do que toda essa sua defesa, você ainda não percebeu, mas eu não consigo olhar muito tempo pra você, não porque eu não queira, eu simplesmente não posso mostrar assim a cara que faço quando fico te olhando, sei disso porque agora diante da tua foto, eu to fazendo essa cara, e essa cara assusta tanto quanto o convite pra viver um grande amor que eu quero te fazer .  Mas eu quero ficar te olhando tanto, e quero te beijar mais ainda, e quero fazer amor com você, olhar nos teus olhos, você nem sabe das minhas ex historias amorosas, tudo bem, foram apenas duas as pessoas que amei, e eu sei bem de que jeito o amor volta a bater na minha porta,sei bem que ele ta pedindo pra entrar novamente, e por mais que isso me faça temer tambem, por mais que eu queira que ele entre, eu preciso saber se você também quer, preciso saber se tenho chances de entrar, porque como diz o poeta: “amar de verdade, só se for a dois, só a dois!”
D.S.L

Anúncios

“Retrato em preto e branco”

   Eu quero dormir embalada por Nara Leão à cantar “Retrato em preto e Branco”
   E ver calmamente o passar do dia no aguardo da chegada do por do sol, lendo poetas. Ser aconselhada por Drummond com seus “Conselhos de um velho apaixonado”, e ouvir de Tom Jobim que “Chega de saudades”, assim de repente, não mais que de repente, inaugurar a chegada da noite com Cazuza a deleitar-se gritando “Vida louca”
   Sair de casa e apostar na lua todas as fixas dessa vida de um só caminho: aquele que me faz feliz! Que a noite tenha um só tom, o tom do abraço de meus amigos, das gargalhadas dos bêbados a porta dos banheiros, da tontura do álcool sorvendo a ingenuidade da minha timidez de menina, e do flerte com você que passa e nem nota que eu rôo as unhas por causa da sua chegada, leva contigo sem ao menos saber, que meu sorriso se embaraça nos teus passos que não me descobrem
   Na madrugada descobrir-me “Atrás da porta” junto a Elis Regina.
   No amanhecer preencher o vazio do céu de um novo dia com cores de Frida Kallo.
   Quando sentir fome, alimentarei meu ser primitivo com as palavras sabias e imortais do poema mais bonito de todo o tempo, de todo o mundo, escritas a muito séculos antes, as palavras de Coríntios 13, e assim sentindo-me mais perto do céu ajoelhar-me e clamar que o amor não se demore a retornar, a voltar ao meu viver. Amar sempre, mais e mais, até entorpecer-me e cair novamente. Amar sempre, diferente, junto, contente, a cantar e poetizar, e dedicar-me novamente a apenas amar.
   Para trabalhar eu vou encher-me de coragem e reconhecer na rua dos grandes comércios a “Construção” do Buarque. E ganhar dinheiro com um único intuito: o de gastá-lo, pois eu não vou viver a economizar pedaços de papel com desenhos coloridos. Não vou aprisionar-me, gastar hoje, pois é hoje que quero ser feliz; Amanha ganha-se mais e gasta-se novamente.
   Eu vou decorar meu quarto enchendo as paredes de furos e pregos, quero rede, quero quadros, quero fotos, quero espelhos, e muitos penduricalhos, todos suspensos como nuvens ao vento. E um sonsinho mínimo no canto da parede pra que eu possa novamente adormecer embalada ao som de Nara Leão, e sonhar, sonhar e sonhar, pra acordar e não parar de sonhar!
D.S.L

Vinte e seis

   Quando eu nasci alguém naquele exato instante do meu primeiro choro, devia estar “sambando na corda bamba de sombrinha”, talvez por ter sido noite de lua cheia numa sexta feira, as seis da tarde, caindo já a noite, onde todo mundo relaxa das dores da semana e só pensa em cumprir a única função para que Deus nos destinou: ser feliz!
   Não devíamos trabalhar, nem tão pouco pensar tanto em dinheiro, não estudar, não ler, não cantar, devíamos nos ocupar em apenas ser feliz!Mas esta ai a formula: ser sábio é realizar todas essas coisas com felicidade!
   Porque posso trabalhar pensando em musica, e musicar pensando em trabalho, e ler pensando em cantar, e estudar pensando em ser feliz.
   A única coisa que eu não posso deixar de fazer para ser feliz, é simplesmente amar, “Amar e desamar” como disse o poeta, e fazer desse amor um show, deixando a vida como palco, deixando a todos como platéia da grandiosa ciranda louca de um coração nu, diante de uma alma encontrada, tão desejada, tão procurada, e anunciada pela cor das estrelas que brotam no céu assim, quase que do nada, tão desejada!Tão desejada!
   Amar, sabendo não ser fácil, sabendo sem saber, querendo entender, querendo falar, alguém disse “amor é igual tosse, ninguém consegue esconder”, definir. E mesmo que se fuja disso, mesmo que se precipite todas as horas e todos os caminhos, tudo o que nos cerca tem esse sentido: amar!
   Que musica que pode ser, sem amor por alguma forma, sem forma, em cor, qual livro que merece aplausos sem final feliz, filme que termina sem ser pra sempre, abraço sem coração envolto, pulsante, mãos que soam num encontro que fazem de um instante um brilho delirante.
Ilumina-te com a vida!Salve, salve amor!
   Droga de vicio de amar, que as vezes causa dor, mas que reconhecido colori a vida, trás cheiro de flor, e um riso mesmo que tímido, não resisti, amor que perdoa, que assombra, sublime, forte, bobo, seja como for, pra quem for, seja lá se pra sempre, ou por alguns instantes, simplesmente amor!
D.S.L